NOTÍCIAS

Cássio Soares se reúne com líder da paralisação dos caminhoneiros em Passos

Postado em 29 de Maio de 2018

O deputado estadual Cássio Soares esteve em reunido ontem, dia 29 de maio, em Passos, com um dos líderes da paralisação dos caminhoneiros em Minas Gerais, Wagner Araki, para reafirmar seu apoio ao movimento e ouvir demandas do setor. O parlamentar que desde o início de seu mandato, em 2011, tem votado contra o aumento da alíquota do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) reafirmou seu compromisso na luta pela redução da carga tributária que é suportada pelo povo mineiro.

 

“Nossos caminhoneiros e caminhoneiras estão levantando suas vozes, mostrando sua legítima indignação com a política de reajustes constantes nos preços dos combustíveis. Vocês que estão fazendo esse movimento de paralisação, merecem todo o nosso respeito, carinho, defesa e responsabilidade com as soluções para os aumentos nos combustíveis. Muitas dessas soluções passam pelas instâncias federais e cabem ao Governo Federal, mas tudo aquilo que couber a Assembleia Legislativa, juntamente do Governo do Estado de Minas Gerais, o nosso povo que está nas estradas lutando por melhores condições para todos os brasileiros, continuarão tendo todo o nosso suporte, repeito e atenção”, ressaltou o deputado estadual Cássio Soares em reunião com Wagner Araki.

 

O deputado participou de uma roda de conversa na Rádio Vida de Passos, durante a manhã de hoje. Na entrevista ao jornalista Dirley Freitas, o parlamentar respondeu a perguntas dos ouvintes, que pediram por soluções para a crise enfrentada em Minas Gerais com os combustíveis.

 

O deputado estadual Cássio Soares explicou aos ouvintes que qualquer proposta redução da carga tributária do Estado, precisa partir do Governador. Os deputados estaduais não têm a liberdade para legislar sobre a redução de receita do governo.

 

“O que tenho proposto ao nosso povo mineiro, e propus ontem ao amigo Wagner Araki, representante dos caminhoneiros em Minas Gerais, é que para baixarmos os impostos no Estado, é preciso também haver uma diminuição de despesas. O Governo do Estado tem uma máquina muito cara, são muitas secretarias, servidores e a previdência cresce cada dia mais. Hoje, Minas Gerais é um dos maiores produtores de minério do mundo, e cobramos uma taxa em torno de 3% do total de produção, enquanto o comerciante e as indústrias pagam em torno de 18% de ICMS. Então porque não, reduzirmos a taxa do ICMS nos combustíveis e aumentarmos para os grandes mineradores? Para toda redução de tributo é necessário haver uma compensação, essa é a proposta que levarei ao Governo do Estado”, explicou o parlamentar, afirmando que irá trabalhar para que o Governo acate a sugestão.

DEIXE SEU E-MAIL E RECEBA NOTÍCIAS