NOTÍCIAS

Hospitais da região recebem novos aparelhos

Postado em 22 de Abril de 2013

O secretário de Desenvolvimento Social, deputado estadual Cássio Soares, anunciou na tarde desta segunda-feira, 22 de abril, a substituição de duas centrais de materiais esterilizados do Hospital São Francisco, de Cabo Verde; uma central da Santa Casa de Misericórdia de Muzambinho e a substituição da iluminação da Santa Casa de Monte Belo. A doação dos aparelhos faz parte do programa “Energia Inteligente” da CEMIG e a entrega está agendada para o próximo dia 24 de abril.

Os equipamentos, chamados de autoclaves, são mais econômicos e mais eficientes comparados aos atualmente utilizados pelos hospitais. Os novos aparelhos economizam energia pelo fato de fazer o ciclo de esterilização em apenas 35 minutos. Os equipamentos antigos fazem o mesmo em 4 horas. Além disso, são considerados mais eficientes, já que têm uma tecnologia mais avançada. Essa é a segunda entrega realizada nos últimos seis meses na região. No dia 13 de novembro do ano passado, o Hospital São Vicente de Paulo, de Carmo do Rio Claro, recebeu o equipamento.

Os recursos para aquisição das autoclaves são provenientes do Programa Energia Inteligente, responsável pelas ações da Cemig no combate ao desperdício de energia, já que este é um dos equipamentos que mais consomem energia dentro de um hospital. A economia, em termos de energia, é estimada em 179 MegaWatts/hora por ano, energia suficiente para abastecer 80 residências de consumo médio, por ano.

Programa

O programa Energia do Bem implementa equipamentos mais econômicos nas entidades filantrópicas e sem fins lucrativos como hospitais, creches e entidades de Longa Permanência de Idosos. O objetivo otimizar o uso e consumo de energia elétrica, prezando por um uso racional, além de conseguir preservar o meio ambiente.

O projeto prevê a substituição de autoclaves obsoletas e ineficientes em hospitais da rede pública por autoclaves de alto rendimento e desempenho, o que proporciona benefícios como maior segurança no processo de esterilização, reduzindo a possiblidade de infecção hospitalar, a redução do valor das faturas de energia, além da adequação às normas do Ministério da Saúde e da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para as Centrais de Materiais de Esterilização (CME) sobre as barreiras sanitárias isoladas.

Já foram contemplados mais de 40 hospitais, proporcionando uma economia de energia de 5700 MWh/ano e uma redução na demanda de energia no horário de ponta de 1450 kW. Também foram negociados pagamentos de dívidas dos hospitais que totalizaram R$ 1,2 milhões.

DEIXE SEU E-MAIL E RECEBA NOTÍCIAS